Litteratura
Version imprimable de cet article Version imprimable

Página inicial > Século XX > Lispector (PSGH): provação

Lispector (PSGH): provação

terça-feira 9 de junho de 2020

Eu estava comendo a mim mesma, que também sou matéria viva do sabath.

Não seria esta, embora muito mais do que esta, a tentação pela qual passavam os santos? E de onde aquele que seria ou não santo, sai ou não santificado. Desta tentação no deserto, eu, leiga, a insanta, sucumbiria ou sairia dela pela primeira vez como ser vivo.

- Escuta, existe uma coisa que se chama santidade humana, e que não é a dos santos.

Tenho medo de que nem o Deus compreenda que a santidade humana é mais perigosa que a santidade divina, que a santidade dos leigos é mais dolorosa. Embora o próprio Cristo tenha sabido que se com Ele haviam feito o que fizeram, conosco fariam muito mais, pois Ele dissera: “Se fizeram isto com o ramo verde, o que farão com os secos?

Provação. Agora entendo o que é provação. Provação:

significa que a vida está me provando. Mas provação: significa que eu também estou provando. E provar pode se transformar numa sede cada vez mais insaciável.

[A Paixão segundo G.H.]