Litteratura
Version imprimable de cet article Version imprimable

Página inicial > Século XIX > Machado de Assis (MPBC:) – formas do mal

Machado de Assis (MPBC:) – formas do mal

segunda-feira 11 de maio de 2020

Eram as formas várias de um mal, que ora mordia a víscera, ora mordia o pensamento, e passeava eternamente as suas vestes de arlequim, em derredor da espécie humana. A dor cedia alguma vez, mas cedia à indiferença, que era um sono sem sonhos, ou ao prazer, que era uma dor bastarda. Então o homem, flagelado e rebelde, corria diante da fatalidade das cousas, atrás de uma figura nebulosa e esquiva, feita de retalhos, um retalho de impalpável, outro de improvável, outro de invisível, cosidos todos a ponto precário, com a agulha da imaginação; e essa figura – nada menos que a quimera da felicidade – ou lhe fugia perpetuamente, ou deixava-se apanhar pela fralda, e o homem a cingia ao peito, e então ela ria, como um escárnio, e sumia-se, como uma ilusão. (Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Capítulo VII)


Ver online : Memórias Póstumas de Brás Cubas [MPBC] (formato mobi)